Um dos espetáculos mais aguardados do festival internacional, o Concerto das Nações acontece na segunda-feira (16); Karinah vai fazer a abertura do evento; atração será transmitida ao vivo pelo YouTube do festival

O maestro Alex Klein, idealizador do Festival Internacional de Música de Santa Catarina (FEMUSC), acaba de anunciar que russas e ucranianas estarão no mesmo palco no Concerto das Nações, espetáculo que será realizado na próxima segunda-feira (16) às 20h30. Considerado um dos grandes momentos do FEMUSC, a ideia de unir os dois países em guerra desde fevereiro do ano passado, foi considerada pelo maestro, que propôs aos músicos. “São mulheres musicistas, que se unem para mostrar que as diferenças só nos tornam humanos e que a arte salva tudo”, diz Klein.

Para a abertura do Concerto, foi convidada a cantora Karinah. Reconhecida por seu repertório engajado, Karinah promete muito samba para representar o Brasil na festa das nações.

O Concerto, realizado no Centro Cultural Scar, em Jaraguá do Sul, tem transmissão ao vivo pelo canal do YouTube do Festival.

Russas e ucranianas encerram a apresentação com a execução da obra ‘Olhos Negros’, composição russa, com letra escrita pelo poeta e escritor ucraniano Evgeny Pavlovich Grebinka. O roteiro ainda guarda surpresas que o maestro não revela. “É um segredo. Tragam os lenços, tenho certeza que todos vão se emocionar”, afirma.

Reconhecida por seu repertório engajado, Karinah promete muito samba para representar o Brasil na festa das nações. Foto: Pino Gomes

Entre as participantes, estão a soprano Anastasia Pogorelova, a pianista Kristina Meliukhina, além da oboísta Aglaia Golubeva. Aglaia, mais conhecida como Glasha, foi responsável por trazer o ‘oboé de caccia’ diretamente do Conservatório Tchaikovsky (Moscou) para o FEMUSC. “Um privilégio termos um instrumento tão raro e, principalmente, contarmos com a generosidade do professor Philip Nodel, que graciosamente nos emprestou o oboé que foi utilizado na ópera ‘A Paixão Segundo São Mateus’”, disse Klein.

No Concerto das Nações desta 18ª edição do FEMUSC, além de Rússia e Ucrânia, outros 25 países, entre eles Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, México e Peru, estarão representados por meio de seus artistas, que participam do evento como professores ou alunos dos cursos disponibilizados pelo festival-escola, o maior da América Latina.

“Este ano teremos 200 apresentações, entre elas o próprio Concerto das Nações, três óperas produzidas especialmente para o festival, shows de MPB, apresentação de orquestra, recitais e muito mais”, afirma o maestro, que garante que este será o maior festival desde o lançamento, em 2006.

O FEMUSC este ano acontece de 8 a 28 de janeiro. Para a seleção de alunos, foi realizada uma convocatória, que escolheu 800 estudantes, de mais de 1,6 mil inscrições recebidas de 27 países e 17 estados brasileiros.

Entre os professores, o FEMUSC trouxe para a edição de 2023 a cantora Jane Duboc, o italiano Simon Bernardini, membro da Orquestra Filarmônica de Berlim, a violinista Débora Wanderley, o gaiteiro gaúcho Renato Borghetti, o pianista e regente Marcelo Ghelfi da Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo, entre os cerca de 80 participantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *