A cada edição, o principal festival-escola de música da América Latina amplia o trabalho de formação com milhares de jovens, além de movimentar a economia de Jaraguá do Sul, sede anual do evento; pessoas físicas e jurídicas podem apoiar

O FEMUSC (Festival Internacional de Música de Santa Catarina), maior festival-escola da América Latina anuncia a campanha de arrecadação de recursos para financiar a qualificação de músicos, profissionais e iniciantes, que vão participar do evento em janeiro de 2023. A ação ainda aquece a economia de Jaraguá do Sul, norte catarinense, onde o evento ocorre há 18 anos. Desde o lançamento, em 2005, o FEMUSC já formou mais de dez mil profissionais.

A expectativa é que em 2023 o festival movimente R$ 5,1 milhões com reservas na rede hoteleira, passagens aéreas e comércio da região. Nos 20 dias de evento, a procura por restaurantes, bares e prestadores de serviço em geral aumenta. Este ano, o FEMUSC será responsável ainda pela criação de mais de 150 postos de trabalho diretos e 250 empregos indiretos.

Exemplos de como o FEMUSC impacta a vida dos músicos não faltam. Um deles é o do jaraguaense Ramon Thiago, que já participou do festival, recebeu uma bolsa de estudos em Los Angeles, nos EUA, fez doutorado em música e hoje é professor universitário.

A designer Alessandra Piazera, que sempre estudou harpa e participou de diversas edições do FEMUSC, foi responsável pela criação de um instrumento desenhado para captar ondas sonoras e “mostrar” o som para pessoas com deficiência auditiva. A ideia ligada à acessibilidade surgiu em razão do festival e foi testada com sucesso na última edição. Atualmente, Alessandra também trabalha com professores no FEMUSC.

Em relação à economia, a movimentação no comércio vai além da rede hoteleira e gastronômica. Para o comerciante de Jaraguá do Sul, Gabriel Seifert, mais pessoas em circulação na cidade garante o aquecimento da economia local. “Independentemente do ramo no comércio, já somos impactados, mesmo que indiretamente”, afirmou.

Os exemplos citados são frutos do financiamento que chega anualmente ao Femusc. A doação pode ser realizada por qualquer pessoa física ou jurídica, lembra o diretor-executivo, Fenisio Pires Junior.

“A doação pode ser descontada do valor devido ao Imposto de Renda e o valor investido no FEMUSC é convertido em benefícios utilizados para que possamos sempre realizar o melhor festival, com impacto na vida cultural, na indústria e nas vendas de produtos e serviços”, afirma Fenísio.

A doação feita até 31 de dezembro de 2022 já vale para a declaração do IR em 2023 para pessoas físicas. Os recursos doados em 2023, durante o festival, vão para o imposto de 2024 da pessoa física ou no fechamento trimestral das empresas.

Como funciona

Passo 1: Podem investir em projetos culturais aprovados pela secretaria Especial de Cultura na Lei de Incentivo à Cultura Nº 8.313/91, pessoas físicas e jurídicas contribuintes do Imposto de Renda tendo abatimento de 100% do valor incentivando, deduzindo até 6% (PF) ou 4% (PJ) do IR devido.

Passo 2: O incentivador deve depositar o valor desejado para a Doação na conta bancária do projeto (aberta e supervisionada pela Secretaria Especial da Cultura) até o último dia útil do ano corrente. Após o depósito, a entidade ou pessoa que propôs o projeto irá emitir um recibo e enviar ao Doador/Patrocinador, sendo que este servirá como comprovante para que a renúncia fiscal se efetue.

Passo 3: O ressarcimento da Doação/Patrocínio feito virá no ano seguinte, na forma de restituição ou abatendo do valor do IR a pagar.

Conheça os doadores do FEMUSC e venha fazer parte do nosso projeto relacionado à Lei de Incentivo à Cultura

Patrocínio Master

WEG

Patrocínio

Zanotti

GRUPO KOCH

APM TERMINALS

Realização:

Instituto FEMUSC

ABAJAS

Prefeitura de Jaraguá do Sul

Governo Federal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *